[googlee078d043171a94a9.html] Sou Mais Vasco: Vasco
Mostrando postagens com marcador Vasco. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Vasco. Mostrar todas as postagens

12 de dezembro de 2013

Quem vai ser rebaixado? Vasco, Flamengo, Fluminese e Portuguesa no martelo do STJD

Quem vai ser rebaixado? Vasco, Flamengo, Fluminese e Portuguesa no martelo do STJD
Clique na imagem para amplicar


26 de janeiro de 2013

Bernardo e Dedé comandam vitória do Vasco sobre o Resende

Com gols do estreante Leonardo e dois de Bernardo, Vasco segue 100%
Atacante entra no lugar de Carlos Alberto, que sai machucado, perde gol incrível, mas deixa o seu na vitória por 4 a 2 sobre o Resende

Com três vitórias em três partidas disputadas, o Vasco fez mais uma vítima na Taça Guanabara. Em um duelo recheado de gols no segundo tempo, o Vasco superou o Resende por 4 a 2 neste sábado, em Volta Redonda, e se mantém no posto de ataque mais positivo do torneio, com 11 gols.

O triunfo deixa o Cruz-Maltino na liderança do Grupo A da competição, com nove pontos. Com a derrota, o Resende fica com quatro pontos e perde a oportunidade de chegar à ponta do Grupo B.
Bernardo comemora: ele é artilheiro do Carioca, com quatro gols (Foto: Marcelo Sadio / Site Oficial do vasco)

DOMÍNIO SEGURO

- Temos que tomar todo o cuidado possível - disse o técnico Gaúcho, antes do início da partida.
Mas o jogo não começou tão difícil assim para o Vasco. O duelo foi estudado com calma por ambas as equipes até os dez minutos da primeira etapa, quando, em cobrança de falta, Bernardo disparou uma bomba de longe. A bola passou por todo mundo na área e o goleiro Mauro até tentou defender, mas não teve jeito: 1 a 0.

A partir daí, o Cruz-Maltino começou a trocar passes no meio de campo, procurando penetrar na área adversária. Mais recuado, o Resende explorou os contra-ataques, e quase teve sucesso em uma das tentativas. Aproveitando um passe errado de Bernardo no meio de campo, Elias disparou sozinho rumo à área vascaína e, mesmo após cair ao trombar com a zaga, tocou para Léo perder um gol feito, na cara de Alessandro. 

Em boa fase, Carlos Alberto mostrou que está mesmo inspirado em 2013. O meia recebeu um passe longo de Bernardo, livrou-se do primeiro marcador na velocidade, driblou o zagueiro Emerson com um giro, entrou na área e... chutou para fora! A jogada foi tão bonita que Bernardo elogiou-o após o lance.

Passada meia hora de jogo, a torcida foi à loucura com a invasão de campo de um animal. Não, não foi a volta de Edmundo aos gramados. Um cachorro passou cerca de dois minutos correndo livremente no gramado até decidir ir embora. Pouco depois do animal, outro a deixar o campo foi Carlos Alberto, que sentiu um incômodo muscular e foi substituído por Leonardo, que estreou com a camisa cruz-maltina.

Aos 40, a cobrança de escanteio precisa de Bernardo teve um prêmio. Dedé subiu mais que a zaga e cabeceou com força para estufar as redes de Mauro. Com o placar folgado, a defesa cruz-maltina bobeou e o Resende descontou com Dudu, de cabeça. Fim do primeiro tempo, 2 a 1 no placar.

PRESSÃO INICIAL E VITÓRIA

Mal recomeçou a partida e o Vasco mostrou porque é o time com o ataque mais positivo da competição. Em jogada iniciada por Leonardo, o estreante lançou Bernardo, que chutou rasteiro e contou com a ajuda do goleiro para marcar o terceiro da equipe. Mas, o que parecia ser o surgimento de uma goleada, estagnou-se.

Não demorou muito até o Resende acordar. Aos 8, Filipi aplicou um drible da meia-lua em André e tocou rasteiro para Marcel, na área, chutar colocado no canto esquerdo de Alessandro, sem chances de defesa. Desde então, o time mandante passou a dominar a partida variando ataques com jogadas áreas e em velocidade.

Mais atrás, o Vasco pouco criou. Mesmo assim, Leonardo perdeu uma chance incrível, embaixo do gol, e Bernardo errou um chute dentro da área. Enquanto isso, André, que protagonizou bons lances no primeiro tempo, não conseguiu repetir o desempenho na segunda etapa e atrapalhou-se algumas vezes.
Com o cansaço do Resende no fim do jogo, o Vasco cresceu. Contando com a sorte, o Vasco chegou ao quarto gol com Leonardo. O centroavante estreante arriscou de longe e a bola desviou na zaga, enganando o goleiro Mauro, que nada pôde fazer. Com uma leve pressão final, o Cruz-Maltino esperou o cronômetro chegar ao limite e venceu por 4 a 2.

O próximo desafio do Vasco é o clássico contra o Flamengo, na quinta-feira, às 19h30, no Engenhão. Também na quinta, o Resende retorna ao Raulino de Oliveira, às 20h, para encarar o Volta Redonda, time da casa.



Melhores Momentos - Resende 2 x 4 Vasco - Taça Guanabara [26.01.2013]

FICHA TÉCNICA

RESENDE 2 X 4 VASCO

Local: Raulino de Oliveira, Volta Redonda (RJ)

Data/Hora: 26/1/2013 - 21h (de Brasília)

Árbitro: Luis Antonio Silva Santos (RJ)

Auxiliares: Daniel do Espírito Santo Parro (RJ) e Alexandre Eller (RJ)

Renda e público: R$ 50.045 / 2.827 pagantes pagantes

Cartões amarelos: Nenhum

Cartões vermelhos: Nenhum

GOLS: Bernardo, 10'/1ºT (0-1); Dedé, 39'/1ºT (0-2); Dudu, 46'/1ºT (1-2); Bernardo, 3'/2ºT (1-3); Marcel, 8'/2ºT (2-3); Leonardo, 37'/2ºT (2-4)

RESENDE: Mauro; Dudu, Emerson e Marcelo (Linhares, 34'/2ºT); Filipi, Léo Silva, Tiago Silva (Geovani Maranhão, 16'/2ºT), Josemar (Denilson, 23'/2ºT) e Marcel; Léo e Elias. Técnico: Eduardo Allax.

VASCO: Alessandro; Abuda, Dedé, André e Wendel (Dieyson, 34'/2º); Fillipe Soutto, Pedro Ken e Jhon Cley (Dakson, 15'/2ºT); Carlos Alberto (Leonardo, 35'/2ºT); Bernardo e Eder Luis. Técnico: Gaúcho.


Atuações: com dois gols e boas jogadas, Bernardo é o destaque Meia ganha a maior nota na vitória por 4 a 2 do Vasco sobre o Resende

ALESSANDRO - GOLEIRO
Uma defesa fácil e uma mais complicada, em chute de aos 43 min do primeiro tempo. No segundo tempo, fez uma boa intervenção em contra-ataque do Resende. Não teve culpa nos gols.
Nota: 6,0
ABUDA - LATERAL-DIREITO
Produziu pouco no ataque e não foi muito acionado. Tentou participar mais no segundo tempo, mas não teve muito sucesso no apoio ao ataque.
Nota: 5,5
DEDÉ - ZAGUEIRO
Mostrou segurança na maioria do tempo, mas errou lances bobos na saída de bola. Fez o segundo gol do Vasco, de cabeça, e quase repetiu a dose no segundo tempo.
Nota: 7,0
ANDRÉ RIBEIRO - ZAGUEIRO
Um pouco atabalhoado, mas jogou firme no primeiro tempo. Na etapa final, falhou ao ser driblado com facilidade por Léo, que cruzou para o gol de Marcel.
Nota: 5,0
WENDEL - LATERAL-ESQUERDO
Improvisado na lateral, ficou mais preocupado com a marcação e avançou pouco ao ataque. Mal posicionado no segundo gol do Resende, deixou André vendido e chegou atrasado na cobertura.
Nota: 4,5
FILLIPE SOUTTO - VOLANTE
Boa visão de jogo, deu qualidade à saída de bola do Vasco. Deu início à jogada em que Leonardo perdeu gol feito, sem goleiro.
Nota: 6,5
PEDRO KEN - VOLANTE
Participando da saída de jogo sem grande destaque, com algumas tentativas de lançamento. Dedicado na marcação. Errou passe que originou jogada do segundo gol do Resende.
Nota: 5,0
JHON CLEY - MEIA
Primeiro tempo apagado, fez pouco mais do que dar passes para o lado. Continuou inoperante na segunda etapa e foi substituído.
Nota: 4,5
BERNARDO - MEIA
O nome do jogo. No primeiro tempo, fez gol em falta aparentemente sem perigo, quase entregou em bom contra-ataque do Resende aos 17 minutos e cobrou escanteio com precisão para o segundo gol do Vasco, de Dedé. No início da segunda etapa, fez mais um, após passe de Leonardo.
Nota: 8
CARLOS ALBERTO - MEIA-ATACANTE
Boa movimentação, tentou dar velocidade à criação das jogadas. Perdeu grande oportunidade aos 26 min, após boa jogada. Saiu lesionado no primeiro tempo.
Nota: 6,5
EDER LUIS - ATACANTE
Primeiro tempo apagado, procurou se movimentar no ataque, mas participou pouco do jogo e não interferiu nas principais jogadas do Vasco. Participou mais no segundo tempo, com a saída de Carlos Alberto, e deu ótimo passe para Leonardo desperdiçar uma chance incrível. Depois, também perdeu boa oportunidade no ataque. No geral, errou mais do que acertou e irritou a torcida.
Nota: 4,5
LEONARDO - ATACANTE
Pouco tocou na bola no primeiro tempo (entrou no lugar de Carlos Alberto). Logo no início da segunda etapa, deu o passe para o segundo gol de Bernardo. Depois, quase repetiu a dose, novamente servindo Bernardo, que bateu para fora. Porém, perdeu um gol incrível, sem goleiro. Fez o seu gol em lance de sorte, contando com um desvio da zaga para enganar Mauro.
Nota: 7
DAKSON - MEIA
Procurou se movimentar e participou mais do jogo do que Cley (entrou no lugar dele), tentando até uma finalização, mas também pouco produziu.
Nota: 6
DIEYSON - LATERAL-ESQUERDO
Lateral de ofício, entrou para acertar o setor e não comprometeu. Ficou apenas 11 minutos em campo.
Nota: sem nota
GAÚCHO
Conseguiu confundir a defesa do Resende com a movimentação ofensiva, especialmente de Bernardo e Carlos Alberto, que saiu lesionado no primeiro tempo. A estratégia de segurar os laterais e utilizar mais os alas no ataque deu certo na maior parte do tempo, mas time cedeu contra-ataques com erros de passe. Acertou nas substituições de John Cley e Wendel, que não estavam bem no jogo.
Nota: 7,0


Leonardo: “Para ser sincero não esperava uma estreia tão boa”

O Vasco venceu o Resende por 4 a 2, neste sábado. O triunfo em Volta Redonda representou a manutenção dos 100%, mas também a estreia de Leonardo. O jogador teve boa movimentação, criou oportunidades e deixou sua marca, porém o que mais ficou marcado foi o gol perdido no início do segundo tempo, ao melhor estilo Deivid. De bom humor, o jogador brincou com o ‘feito’, mas exaltou a conquista dos três pontos e o fato de ter balançado as redes em sua primeira partida pelo Gigante da Colina.
No início do segundo tempo, Eder Luis invadiu a área pelo lado esquerdo e rolou para dentro da pequena área. Leonardo entrou de carrinho, mas pegou muito mal na bola e perdeu um gol feito já sem goleiro. O fato lembrou o erro de Deivid, então no Flamengo, na semifinal da Taça Guanabara de 2012, contra o próprio Vasco.
“Para ser sincero não esperava uma estreia tão boa. Dá para ver que ainda falta um pouco de ritmo de jogo para mim. Fiz um ou dois coletivos no máximo. Estou feliz com o desempenho. Time venceu, mas perdi um golzinho incrível (risos). Dei carrinho, mas não peguei bem. Ainda bem que consegui deixar unzinho depois (risos)”, brincou.
Apesar do gol perdido, Leonardo foi decisivo ao deixar sua marca e dar assistência para o segundo gol de Bernardo. O atacante puxou contra-ataque e apenas rolou para o camisa 31 fuzilar o goleiro Mauro. O atacante se diz feliz no grupo, elogia os novos companheiros, mas afirma que precisa melhorar fisicamente para ficar no nível dos demais atletas.
“Fiquei feliz com os novos companheiros. O grupo é bom, não tem vaidade, todos brincam. Mas ainda preciso pegar ritmo de jogo. Ajudei com meu gol, estou trabalhando forte para alcançar o pessoal, pois ainda estou abaixo deles fisicamente. Estou à disposição do Gaúcho. Quero entrar e ajudar. Esse é o meu objetivo”, afirmou.
Com a vitória, o Vasco chegou aos nove pontos e continua na liderança do Grupo A. Na próxima rodada, o Cruzmaltino terá um clássico contra o Flamengo, nesta quinta-feira, às 19h30, no Engenhão.
Fonte: UOL

25 de dezembro de 2012

Vasco. Últimos dois anos são exemplos, sim!



Em 2010 o Vasco passou por uma grande reformulação. Naquele ano iríamos disputar a segunda divisão. O clube buscou jogadores que não interessavam aos clubes que tinham muito dinheiro para investir. Modestamente o time foi montado com figuras hoje muito valorizadas no mercado, a exemplo de NILTON, O lateral direito FÁGNER, o goleiro FERNANDO PRASS, Élton, que depois foi para o Corinthians.

Em 2011 vieram também o  Rafael Coelho, Dodô, Jumar, o Dedé apareceu.

Depois vieram Eder Luiz, Alecsandro, Anderson Martins, Allan e Diego Souza, dentre outros (o Juninho retornou ao final de abril de 2011). O time ganhou a copa do Brasil e ficou em segundo no Brasileirão. NÃO ESQUEÇAMOS QUE ESSES JOGADORES NÃO TINHAM VALOR NO MERCADO. Nem eram apostas, mas formaram um grande time. Ou seja, o sentimento de esperança não pode parar. O Vasco pode muito bem ser um time competitivo mesmo sem investir fortunas em contratações.


27 de outubro de 2012

Vasco eleva gasto com lateral direita em 240% e vê prejuízo após saída de Fagner

Vasco eleva gasto com lateral direita em 240% e vê prejuízo após saída de Fagner
A janela de transferências do meio do ano deixou sequelas no departamento de futebol do Vasco. Além de perder Diego Souza, Romulo e Allan, o prejuízo com a venda do lateral direito Fagner para o Wolfsburg-ALE ultrapassou as quatro linhas. O Cruzmaltino contratou Jonas e Auremir como substitutos e teve um aumento de 240% no gasto mensal com a posição.

Campeão da Série-B (2009) e Copa do Brasil (2011), Fagner recebia R$ 50 mil na Colina histórica. Um valor considerado extremamente válido pela representatividade que o atleta possuía com elenco e torcida. Sem o jogador, o Vasco foi ao mercado para dar condições de trabalho ao então técnico Cristóvão Borges.

Chegaram Auremir e Jonas. O primeiro é volante de origem, mas foi escalado na lateral direita, posição na qual também se destacou no Naútico. O Cruzmaltino adquiriu 35% dos direitos econômicos do atleta por R$ 500 mil e assinou contrato por empréstimo até dezembro de 2015. Porém, no meio de 2013 o clube pode exercer o direito total de compra. Auremir recebe cerca de R$ 50 mil mensais.

Já o lateral Jonas era uma cobrança antiga da ex-comissão técnica e torcedores. O atleta chegou, assinou contrato até dezembro de 2015 e assumiu a condição de titular com um vínculo lucrativo para o que recebia anteriormente. O jogador ganha R$ 120 mil por mês, o que praticamente determina o aumento de 240% na folha salarial em relação à lateral direita.

Jonas tem sido muito questionado e chegou a discutir com alguns torcedores na derrota por 2 a 1 para o Internacional, na última quarta-feira, em São Januário. Ele fez o gol do time. A situação de Auremir é mais tranquila. O jogador já teve bons momentos, mas um estiramento na coxa o afastou dos gramados. Recuperado, voltou a treinar e está à disposição do técnico Marcelo Oliveira.

Além dos valores, internamente as duas contratações realizadas pelo diretor de futebol Daniel Freitas são questionadas no aspecto do “campo-bola”. Isto porque, Jonas possui apenas 27,78% de aproveitamento, enquanto Auremir tem 41,03%. Vale lembrar que Fagner deixou o Vasco ostentando a marca de 65,63%, superior a qualquer titular cruzmaltino no atual momento.

O Gigante da Colina ainda deve parcelas pela aquisição de Jonas junto ao Coritiba. Recentemente, conselheiros definiram como “absurdo” o clube ter disposto de pouco mais de R$ 3 milhões para contratar Abuda, Auremir e Jonas. Com dívidas em caixa e o aumento dos salários em alguns setores, o Cruzmaltino tenta se reorganizar começando pelos dois meses de pendências financeiras com o elenco.

Vinicius Castro  - uol

21 de outubro de 2012

Que torcida é esse que bate recorde no maracanã na serie B?


Que torcida é esse que bate recorde no maracanã na serie B? É a torcida do amor infinito. É aquela que canta “E pra primeira eu vou subir, e na segunda eu vou passar, na alegria ou na tristeza eu nunca vou te abandonar” e assim foi. Para mim falar mau desse torcida é um pecado. Torcida qual provou que sempre estará ao lado do Vasco, em qualquer situação. Você ouvia palavras que eram como promessas. Era músicas que eram cantadas com a alma, que suplicava aquela vitória. Amar na vitória é tão fácil. Julgar o time na derrota é tão fácil. Mas o bom, o inesquecível era lotar o Maracanã/São Januário, nos momentos mais difíceis, quando a vitória era precisa mais que qualquer coisa, quando havia medo, insegurança e mesmo assim havia esperança e confiança. “

via:Sou-Vasco/Tumblr

3 de junho de 2012

Possível modelo de camisa do Vasco da Nike já circula nas redes sociais. Veja

Possível modelo de camisa do Vasco da Nike já circula na net. Será?

Colunista diz que Vasco está próximo de acertar com a Nike



Roupa nova

Era para acontecer antes da Libertadores, mas as conversas andaram em ritmo lento e o projeto foi adiado. Retomado recentemente, tem evoluído bem e, em breve, a Nike deve passar a vestir o Vasco. Depois de aumentar com Santos e Inter sua carta de clientes classe A, que tinha apenas o Corinthians, e se associar a marcas periféricas como Bahia e Coritiba, entrar no Rio é o próximo passo, dado como irreversível, dos planos de mercado da empresa. O contrato do Vasco com a Penalty, atual fornecedora do clube, vai até o fim de 2013, mas a Nike já sinalizou que, além de pagar a multa rescisória (R$ 4 milhões), está disposta a oferecer bom percentual de royalties sobre a venda de produtos oficiais e a aumentar a mesada dada pela concorrente. Em São Januário, o acerto é visto como um ótimo negócio.

Fonte: Coluna Panorama Esportivo - O Globo

26 de maio de 2012

Vasco já foca projeto Libertadores 2013

Vasco enfrenta a Portuguesa e vai em busca do projeto Libertadores-2013
Após eliminação contra o Corinthians, todos pensam em voltar a principal competição do continente no ano que vem.




Fonte: GloboVídeos, via supervasco

23 de maio de 2012

Corintianos detidos por perturbar Vasco

Corintianos incomodam sono vascaíno com fogos e são detidos
Renato Silva (c) e Felipe (d) em desembarque do Vasco
A madrugada vascaína não foi tranquila na capital paulista. Desde às 0h, fogos de artifício foram ouvidos nos arredores do hotel onde a delegação está hospedada em São Paulo. Cinco suspeitos foram detidos e um carro com cerca de 60 rojões foi apreendido pela Polícia Militar.

Uma viatura da PM chegou ao local por volta das 2h, após denúncia do chefe de segurança cruzmaltino e da maior rajada de fogos. Na busca realizada pelos policiais nas ruas próximas, cinco suspeitos foram detidos. Um carro Fiesta, com documentação irregular, foi apreendido.

As cinco pessoas foram autuadas, sendo que quatro responderão o processo em liberdade. O quinto detido pelos policiais foi preso por estar com a pensão alimentícia atrasada. Dois representantes da delegação do Vasco prestaram queixa na 11ª DP (Santo Amaro). Apesar da atuação dos policiais, uma nova rajada de fogos pôde ser ouvida por volta das 5h.

No jogo de ida, a delegação do Corinthians não teve o mesmo problema. A perturbação foi diferente. Um torcedor vascaíno se hospedou no mesmo hotel no bairro de Copacabana e, durante a madrugada, ligou nos quartos dos jogadores do Timão para acordá-los.

O zagueiro Leandro Castán, por meio de seu Twitter, chegou a ironizar a tentativa: "O que passa na cabeça de um cara hospedar no mesmo hotel que a gente e ficar passando trote a noite toda pra galera? Que piada...", escreveu. "É isso aí, galera. Não atrapalhou em nada, depois que ligou foi só tirar o telefone do gancho. Que otário", complementou.

Corinthians e Vasco se enfrentam nesta quarta-feira, pela Copa Libertadores. Quem ganhar, ficará com uma das vagas na semifinal da competição sul-americana. Empate com gols põe os cariocas na próxima fase. Empate sem gols leva a decisão para os pênaltis. (Lance!Press )


Não acredita no Vasco? Veja cinco motivos para mudar de ideia!

 
MOTIVOS PARA ACREDITAR NA CLASSIFICAÇÃO DO VASCO

Apesar de não contar mais com o técnico Ricardo Gomes, que se recupera de um AVC, o Vasco tem no comando o seu homem de confiança, Cristóvão Borges, e manteve a base do time que foi campeão da Copa do Brasil e vice do Brasileirão em 2011. Confira cinco motivos para acreditar na classificação do Vasco na noite desta quarta-feira, no Pacaembu.

PRIMEIRO MOTIVO - SEMELHANÇA COM O TÍTULO DE 1998

O Vasco e sua torcida acreditam muito na semelhança da campanha atual com a de 1998, ano em que o time subiu ao topo da América. Classificação em segundo lugar no grupo durante a primeira fase, equipe argentina eliminada (Lanús), e adversário brasileiro nas quartas. Na ocasião, o Cruzmaltino superou Cruzeiro, Grêmio e River Plate antes da esperada decisão do torneio continental.

SEGUNDO MOTIVO - LEMBRANÇAS DA COPA DO BRASIL

O Vasco foi muito bem na competição nacional do ano passado. Conquistou um título após oito anos de jejum. O triunfo foi alcançado sempre decidindo fora de casa. Nos bastidores, comissão técnica e jogadores apostam no bom retrospecto e na ordem do mando de campo. A costumeira boa performance fora de São Januário anima na missão de assegurar a vaga.

TERCEIRO MOTIVO - DESEMPENHO DO CORINTHIANS NA LIBERTADORES

Os vascaínos apostam no "fraco" desempenho do Corinthians nas edições da Libertadores para eliminar o dono da casa. Para eles, o time paulista não vai bem em mata-mata e a pressão pelo título inédito sempre atrapalha. Durante os últimos dias, os jogadores conversaram sobre aproveitar a pressão contrária no Pacaembu. A ansiedade corintiana pode ser a grande aliada na "decisão".

QUARTO MOTIVO - VASCO É O TIME DOS GOLS FORA DE CASA

O Vasco marcou gols fora de casa em todos os jogos da Libertadores. O bom retrospecto vai além. O time só deixou de balançar as redes em uma partida na temporada, justamente contra o Corinthians, em casa. O bom momento vivido pelo atacante Alecsandro é mais uma possibilidade para balançar a rede adversária. Em caso de um gol, o Vasco obriga o Corinthians a marcar duas vezes.

QUINTO MOTIVO - FORÇA DA BOLA PARADA DE JUNINHO PERNAMBUCANO

Experiente e eficiente nas bolas paradas, o meia Juninho é uma das principais esperanças do time do Vasco. As melhores jogadas da equipe costumam sair dos seus pés. No último treino, o camisa 8 executou cobranças de falta e mostrou que está em dia nos cruzamentos durante a estreia do Brasileirão, quando colocou a bola na cabeça de Alecsandro na vitória sobre o Grêmio por 2 a 1.

Fonte: UOL Esporte

22 de maio de 2012

Vasco acredita na vaga no tempo normal contra o Corinthians

Quando Vasco e Corinthians entrarem em campo nesta quarta-feira no Pacaembu, o placar estampará o 0 a 0. Resultado que levaria a decisão da vaga às semifinais da Libertadores para as cobranças de pênaltis. Porém, em São Januário, ninguém acredita em mais uma partida sem gols. Um alento aos torcedores, os que mais sofrem na hora das temidas penalidades.
No que depender de Éder Luís, a partida
será decidida nos noventa minutos

Nem mesmo o goleiro Fernando Prass, que garantiu a vitória sobre o Grêmio por 2 a 1 ao defender o pênalti batido por Marcelo Moreno no domingo, na estreia no Brasileiro, deseja outra disputa decidida nas cobranças.

O jogo começa com essa situação, mas sei lá... Pelos dois times, pelo jogo que deve ser, acho difícil uma partida dessa acabar 0 a 0. Pode acontecer, mas é um sentimento meu de que não vai ser assim. Aqui era o primeiro jogo, as equipes tiveram um pouco de cuidado. À medida que o tempo passa, vai diminuindo o tempo para decidir a partida e um gol pode definir a classificação. Vão se arriscar mais analisou o goleiro.
Se Prass estiver errado e não houver como escapar da marca da cal, ele garante estar preparado.
Vamos treinar para isso, vamos levar em consideração essa possibilidade disse.

Prass está pronto também para rebater qualquer tipo de crítica por não ser considerado especialista em defender pênaltis. No Vasco, o goleiro pegou quatro em 39 penalidades.

Acho que é uma qualidade importante, mas há outras coisas muito mais importantes para um goleiro. Um pênalti pode ter um a cada 10 jogos. Mas há outros lances que acontecem várias vezes num jogo, que o goleiro precisa ir bem. Se puder agregar as duas coisas, melhor. O goleiro tem que trabalhar sempre declarou o camisa 1, que aceita as críticas embasadas. Só me irrita quando falam algo descabido. Ali é um momento muito rápido, tem que esperar o máximo para a bola sair e contar com os pênaltis mal batidos. Contra o Lanús, todos foram bem batidos e no alto.

Vasco completo em campo
No que depender de Éder Luís, a partida será decidida nos noventa minutos. A favor do Vasco, é claro. O atacante conta com a necessidade de o Corinthians buscar a vitória, único resultado que garante ao time paulista a classificação direta para as semifinais.

Eles vão sentir o jogo também, não podem só se defender lá . Assim como nós afirmou o atacante.
Na aposta por um jogo mais aberto, Éder sabe que pode fazer a diferença em campo.

Vai ser um jogo em que vamos usar muito o contra-ataque. Como não joguei domingo, pude descansar e me preparar para quarta. Temos que marcar e sair nos contra ataques, quando posso ser decisivo garantiu Éder, cujo contrato termina no final do mês que vem e está aguardando a resposta do Benfica à proposta enviada pelo Vasco há uma semana. O Vasco mostrou interesse em me manter. São coisas que eles têm que resolver. O Daniel (Freitas, diretor de futebol) tem conversado comigo, estão otimistas. O Vasco colocou proposta na mesa, vamos esperar até o final deste mês ou do mês que vem.

O Vasco treina nesta terça-feira pela manhã e, em seguida, viaja para São Paulo com o time completo. Rodolfo, que se chocou com o goleiro Fernando Prass e saiu de campo tonto, foi reavaliado e tem condições de jogo.
(O Globo)

11 de março de 2012

Jogadores do Vasco já admitem internamente a volta de Carlos Alberto

Torcida e jogadores do Vasco aprovam possível volta de C. Alberto 
Possibilidade de reintegração do meia é vista como positiva por 86% dos votos em enquete promovida pelo GLOBOESPORTE.COM

Nas últimas semanas, o assunto Carlos Alberto passou a ser tratado com mais frequência nos bastidores de São Januário. Assim, por consequência tornou-se recorrente entre os torcedores do Vasco. E respondendo a uma enquete promovida pelo GLOBOESPORTE.COM, eles se mostraram favoráveis à reintegração do jogador. Foram 17.287 votos até a noite do último sábado, sendo que 86% pedindo a volta, enquanto os outros 14% manifestaram-se contra a permanência do meia.

Carlos Alberto treina separadamente no Vasco desde que retornou de empréstimo do Bahia, ao fim do Campeonato Brasileiro do ano passado. Enquanto ele mantém a forma e aguarda a decisão, a diretoria busca uma solução, já que o jogador tem contrato com o clube até agosto de 2013. Até o momento não houve uma proposta concreta, seja por empréstimo ou negociação em definitivo. E como o meia tem qualidade reconhecida, apesar do comportamento considerado questionável por alguns, a possibilidade de reintegração se fortalece.

Ela é, inclusive, assunto recorrente entre os jogadores do Vasco. Principalmente os mais experientes apoiam o retorno de Carlos Alberto, considerado por eles uma peça importante para suportar a pressão natural que recai sobre toda a equipe. Na diretoria, as opiniões parecem divergentes, e, por enquanto, a comissão técnica não mostra abertura para aceitar o jogador de volta.

O clube espera dar um desfecho à negociação nas próximas semanas. Caso permaneça o impasse sobre a possível reintegração e não haja possibilidade de transferência, pode ser que as partes se reúnam em busca do acordo da rescisão do contrato de Carlos Alberto. [Fonte: GloboEsporte.com]

Possível volta de Carlos Alberto ao Vasco pega Cristóvão de surpresa 

A possível volta de Carlos Alberto ao time do Vasco não parece agradar à maioria dos torcedores, e pegou de surpresa o técnico Cristóvão Borges. O treinador soube apenas após a vitória por 3 a 2 sobre o Alianza Lima, na última terça-feira, pela Copa Libertadores, da intenção do vice-presidente José Hamilton Mandarino de reincorporar o jogador ao elenco. Atualmente, o meia-atacante apenas treina em São Janário para manter a forma física.

"Quem falou isso?", perguntou Cristóvão. "Você tem certeza dessa informação?", voltou a questionar. "A diretoria tem que decidir, depois dou minha opinião", esquivou-se o técnico vascaíno.

Sobre o possível retorno do meia Bernardo, que acionou o clube na Justiça alegando salários e direitos trabalhistas atrasados, Cristóvão também prefere esperar uma decisão da diretoria. "Essa questão é jurídica, a outra (Carlos Alberto) é uma questão anterior à minha chegada. Não tenho o que dizer por enquanto", afirmou.

Já a respeito do jogo contra os peruanos, Cristóvão falou. O treinador lamentou o excesso de gols perdidos pela equipe contra o Alianza Lima e a chance desperdiçada de aumentar o saldo de gols na competição - o Vasco tem saldo zero, pela derrota na estreia contra o Nacional do Uruguai, por 2 a 1. Porém, defendeu o atacante Alecsandro, que perdeu duas cobranças de pênalti: "ele é o jogador que mais treina pênaltis aqui. Ele não fica nervoso nunca nessa situações".

O zagueiro Rodolfo recebeu uma pancada no primeiro tempo, e o técnico preferiu poupá-lo no intervalo. Por outro lado, Éder Luis, que também sentiu dores e não ficou nem no banco de reservas, deve enfrentar o Madureira no domingo, pela Taça Rio. Cristóvão confirmou que vai poupar vários titulares, que folgam nesta quarta-feira e voltam a trabalhar apenas na quinta. [Fonte: JB]



Diante de 18 mil pessoas na arena montada no Centro Cultural Povos da Amazônia, em Manaus, o Vasco levou a melhor sobre o Sampaio Corrêa-MA e conquistou o título da segunda Copa Brasil de futebol de areia. 

Mauricinho brilhou com dois gols, e Rafinha, Bruno Xavier e Bueno completaram a vitória do "Trem-Bala da Areia" por 5 a 2. Daniel e Diney marcaram os gols da equipe do Maranhao.

Empurrado pela torcida, o Vasco partiu para o ataque desde o começo do jogo. O capitão Jorginho, com um chute rente à trave logo no primeiro minuto, assustou o goleiro Gut. Na sequência, Rafinha arriscou de longe e obrigou o arqueiro do Sampaio Corrêa a fazer grande defesa.

Os maranhenses responderam com Datinha, que avançou em velocidade pelo meio da quadra, mas finalizou mal. A equipe cruz-maltina, mais ofensiva, quase abriu o placar com Jorginho, que dominou na área, girou rápido e soltou uma bomba no travessão. Aos 11, o Tubarão de São Luís também esteve perto de marcar o gol. Anderson levantou na área, mas Roberto, sem marcação, não conseguiu cabecear.

Na segunda etapa, os gols, enfim, começaram a sair. O atacante Mauricinho, uma das revelações do Vasco, dominou pelo meio e bateu colocado no canto esquerdo de Gut. Quando a torcida ainda comemorava o primeiro gol, o time-cruzmaltino ampliou. Aos dois minutos, Rafinha recebeu livre pelo lado direito e chutou cruzado, sem chances para o goleiro.

O Sampaio empatou a partida em menos de dois minutos. Daniel, com um chute de antes do meio da quadra, e Diney, em cobrança de falta, deixaram tudo igual no placar. Mas a alegria dos maranhenses não durou muito. Aos dez, Jorginho bateu escanteio na medida para Bruno Xavier, com oportunismo, cabecear e fazer 2 a 1.

A festa vascaína continuou na terceira etapa. No primeiro minuto, Mauricinho, de novo ele, roubou a bola pelo lado direito, invadiu a área e chutou colocado, no alto, para marcar o terceiro. O Sampaio foi com tudo para o ataque e tentou diminuir, mas quem fez mais um foi a equipe cruz-maltina.

Aos sete, Bueno soltou a bomba na cobrança de falta de longe e anotou o quinto. Com a vantagem no placar, foi só tocar a bola e esperar o tempo passar: 5 a 2. O "Tre-Bala da Areia", que vencedor do último Mundialito de Clubes, agora é campeão do Brasil.

FLAMENGO FICA EM TERCEIRO LUGAR

Antes da decisão, Flamengo e Cruzeiro entraram em quadra para lutar pelo terceiro lugar. Melhor para os flamenguistas, que superaram os mineiros por 3 a 1.

15 de fevereiro de 2012

Vasco bate Volta Redonda e garante primeira colocação do grupo

Vasco vence em noite de aplausos a Alecsandro e vaias para Bernardo
Atacante marca duas vezes e dá uma assistência nos 3 a 0 sobre o Volta Redonda. Meia, que entrou na Justiça contra o clube, é alvo da torcida
Jogadores do Vasco comemoram gol do Vasco nesta quarta 
Já classificado, o Vasco entrou em campo contra o Volta Redonda, nesta quarta-feira, com a sua camisa azul e algumas mudanças na escalação. Diego Souza e Felipe foram poupados e em seus lugares entraram William Barbio e Bernardo. E os substitutos tiveram destaque na vitória por 3 a 0, que manteve o time com 100% de aproveitamento, agora com 18 pontos, assegurando-lhe de maneira antecipada o primeiro lugar do Grupo B na Taça Guanabara.

Barbio chamou atenção em São Januário ao fazer um dos gols - o seu primeiro com a camisa cruz-maltina - e puxar bons contra-ataques. Só foi ofuscado por Alecsandro, que mostrou que vive grande fase ao marcar os outros dois gols e dar assistência para o gol de Barbio. O camisa 9 disputou sete jogos neste ano e fez oito gols, sete deles no Carioca - divide a artilharia com Rômulo, do Friburguense.


A principal notícia vascaína da noite, no entanto, dizia respeito a Bernardo, mas não por sua atuação. Durante a partida, veio a informação de que ele entrara na Justiça contra o Vasco pedindo a rescisão de contrato por conta do não-recolhimento do FGTS durante três meses. Ao ser substituído no segundo tempo, o jogador foi muito vaiado e respondeu com aplausos e pedindo, com um gesto, para os torcedores fazerem silêncio. Dependendo da setença, Bernardo pode ter feito seu último jogo pelo clube.
O resultado do jogo foi importante também para o Fluminense, que tem sete pontos e, se vencer o Americano nesta noite, pulará para o terceiro lugar e manterá suas chances de classificação.

O Vasco volta a campo no sábado, às 19h (de Brasília), e pode ajudar o Fluminense mais uma vez, pois vai ao Engenhão encarar o Boavista, que ocupa a segunda colocação, com 11 pontos. Já o Volta Redonda recebe o Friburguense no Raulino de Oliveira, no mesmo horário.
Alecsandro vive fase iluminada: oito gols em sete jogos em 2012 (Foto: Ide Gomes / Ag. Estado)

Pressão dos visitantes, e Alecsandro entra em cena
A escalação era diferente da habitual, já que Felipe e Diego Souza foram poupados, e Nilton cumpriu suspensão automática. O Vasco parecia sentir as mudanças e, no início da partida, encontrou dificuldade de se encontrar no meio-campo. O Volta Redonda, que ainda sonha com uma das vagas para a semifinal da Taça Guanabara, cresceu em campo e protagonizou os lances mais perigosos no começo - como num chute para fora de Marquinhos, livre na área, e um toque de letra de Robson que obrigou Fernando Prass a se esticar e espalmar para a trave.

O domínio dos visitantes, entretanto, diminuiu aos poucos. O Vasco explorava as jogadas de velocidade com William Barbio e passou a ameaçar. O atacante, com duas jogadas individuais, assustou o goleiro Douglas: primeiro, recebeu passe na esquerda e se impôs na velocidade, mas errou o chute; depois, chutou de fora da área, mas muito fraco.

O atacante estava com vontade de mostrar serviço e resolveu recuar um pouco. E foi de um passe seu para Fellipe Bastos que surgiu o primeiro gol. Na direita, o volante cruzou a bola para Alecsandro, que marcou aos 14 minutos.

Em noite iluminada, Alecsandro também ajudou seu companheiro a marcar, dois minutos depois. Com um bonito passe, deixou William Barbio livre para jogar por baixo das pernas do goleiro e fazer 2 a 0. Em desvantagem, o Volta Redonda não desistiu e quase diminuiu em um erro de Fagner. O lateral tocou com pouca força ao atrasar uma bola para Fernando Prass e deixou Glauber livre, na cara do gol. O goleiro fechou o ângulo e impediu que o meia marcasse.

Depois de desperdiçar sua oportunidade, o Volta Redonda foi castigado. Em jogada pela esquerda, Bernardo deu passe para Thiago Feltri, que foi derrubado na área. Alecsandro pegou a bola, bateu com força e fez 3 a 0, aos 38 minutos.

Segundo tempo de sono... e vaias para Bernardo

Se algum torcedor teve que deixar a partida no intervalo, pouco perdeu. Com boa vantagem, o Vasco tirou o pé do acelerador, sobretudo quando William Barbio sentiu dores no pé e foi substituído por Kim. Sem velocidade, nem muita vontade, o time da Colina pouco criou. Por sua vez, o Volta Redonda até que tentou, mas a correria de pouco adiantou e nenhuma chance foi digna de registro na segunda etapa.

O mais importante acontecia mesmo fora do campo. A notícia de que Bernardo entrara na Justiça contra o Vasco começou a correr as arquibancadas de São Januário, e o jogador passou a ser vaiado. Ao ser substituído, foi alvo dos torcedores. Em campo, nada acontecia, e o placar se manteve inalterado até o fim da partida.
VEJA OS GOLS DA PARTIDA

Bernardo aciona Vasco na Justiça; mais jogadores podem fazer o mesmo

Apesar da garantia de que o pagamento dos salários atrasados será feito nesta quinta-feira, a insatisfação pela demora em acertar os compromissos segue irritando alguns jogadores do Vasco. Insatisfeito, o meia Bernardo acionou o clube na Justiça por conta da falta de depósito do FGTS e já começa a considerar a ideia de deixar o clube. Outros jogadores cogitam tomar a mesma atitude do meia.

Ao ser substituído no segundo tempo da partida contra o Volta Redonda, nesta quarta, o jogador não escondeu seu descontentamento e desabafou. "Trabalhador tem que receber em dia. Tenho filho para criar e contas para pagar. Eles deveriam lembrar tudo que fiz no ano passado. Quando faço gols, todos me apóiam, mas agora...", disse o jogador, em entrevista à Rádio Tupi, sem poder completar a frase, já que foi cercado por seguranças do clube.

Além das cobranças, o jogador pede o total controle sobre seus direitos econômicos. Os advogados vão usar o argumento de três meses sem o depósito correto de FGTS para vencer a causa, que já foi despachada por uma juíza do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro.

E Bernardo não está sozinho. Segundo apurou a reportagem do UOL Esporte, mais jogadores do cruzmaltino consideram tomar a mesma atitude e só não a fizeram antes por receber a garantia de que o pagamento sairia hoje. Irritado também com o fato de não ter sido aproveitado em alguns dos últimos jogos, o jovem meia resolveu "puxar a fila".

Após a partida, o presidente vascaíno, Roberto Dinamite, e o vice-presidente jurídico do clube, Aníbal Rouxinol, foram aos vestiário conversar com o jogador e tentar amenizar a situação. Comprado junto ao Cruzeiro por cerca de R$ 3,5 milhões no fim de 2011, o camisa 31 tem contrato com o Vasco até 31 de dezembro de 2015. [Pedro Ivo Almeida. Do UOL, no Rio de Janeiro]



Eduardo Costa acredita que Bernardo foi influenciado por alguém

Na saída do gramado de São Januário, após a vitória por 3 a 0 sobre o Volta Redonda, na noite desta quarta-feira, Juninho e Eduardo Costa, dois dos mais experientes jogadores do elenco cruz-maltino, comentaram a decisão do apoiando Bernardo de entrar na Justiça contra o clube, requisitando diversos direitos de imagem atrasados do contrato feito em 2011.

- Ele chegou a um estágio de grande importância em alguns jogos, quando foi decisivo para nós. Tem tudo para ter um futuro brilhante, mas está engatinhando, começando a carreira. Não sei quem o está orientando, mas realmente ele tem uma dificuldade para entender algumas situações de pressão. Espero que a situação se resolva. Tudo tem solução - lembrou Juninho que ainda comentou a situação vivida por ele mesmo em sua saída do Vasco em 2001.

- Muito difícil. É delicado falar algo. Eu também fiz isso, só que minha situação é diferente, pois não tinha mais contrato com o clube. O Bernardo é um jogador que o clube conta para o futuro.

Já Eduardo Costa foi mais enfático ao mencionar as pessoas que gerenciam a carreira dos jovens atletas no futebol brasileiro.

- Acho que os meninos de hoje em dia estão sempre com alguma pessoa por trás querendo levar vantagem. O pessoal do Vasco o trata muito bem. Vamos conversar, ver qual a real situação e a intenção dele com essa atitude. É preciso ver quais pessoas influenciaram nessa situação e nessa decisão. Acho que foi mais influência do que por parte dele - opinou o volante. [Fonte: Lancenet]


Juninho: 'Bernardo tem dificuldade de avaliar as coisas'




RIO - Está indefinida a situação de Bernardo no Vasco. O meia entrou na Justiça do Trabalho contra o clube, cobrando salários atrasados, luvas e o recolhimento do FGTS. De atuação apagada na vitória sobre o Volta Redonda na noite desta quarta, Bernardo foi vaiado pela torcida ao ser substituído no segundo tempo. O jogador respondeu pedindo silêncio para os torcedores e desabafando na beira do gramado.

- Eles deveriam lembrar o que fiz no ano passado contra o Fluminense. Sou trabalhador, tenho filho para criar. Quando faço gol importante, eles apóiam e dizem que eu sou o cara - disse Bernardo, contratado por R$ 3,5 milhões no fim do ano passado.

Após a partida, Bernardo se reuniu com dirigentes vascaínos. Ele saiu do vestiário direto para o carro, escoltado por seguranças e sem falar com a imprensa.

Jogador mais experiente do elenco, Juninho Pernambucano comentou o caso, lembrando que Bernardo ainda está em começo de carreira.

- Também já fiz isso e não posso falar muito (Juninho entrou na Justiça contra o Vasco em 2000). A situação era diferente, estava acabando meu contrato. Ele foi importante em vários jogos, mas ainda tem uma carreira que está engatinhando. É jovem, tem 21 anos, e é difícil mesmo ter noção do que se pode fazer. uma coisa que garanto é que um menino de ótimo coração, mas tem dificuldades de avaliar as coisas. Isso é normal, até eu que tenho 37 anos tenho dificuldades. Tem que ver o que ele faz e o que ainda pode fazer na carreira.

O volante Eduardo costa também deu sua opinião.

- Ele deve estar sendo mal orientado. Não é coisa dele. Às vezes tem muita gente envolvida que quer ganhar às custas do menino. [Fonte: Blog Jogo Extra - Extra]

7 de fevereiro de 2012

Max deve ser titular do Vasco no lugar de Allan contra o Nacional-URU; Prass joga

Allan é vetado e Max deve ser titular do Vasco contra o Nacional-URU; Prass joga

O técnico Cristovão Borges terá um problema para a estreia na Libertadores, nesta quarta-feira, contra o Nacional-URU, em São Januário, às 22h (de Brasília). O volante Allan foi vetado pelo departamento médico para o confronto, pois não se recuperou de um estiramento na coxa, sofrido durante o jogo contra o Friburguense, no fim de semana.

O jogador era o suplente de Fagner, que não vai atuar por ter que cumprir suspensão. Com isso, o jovem Max, que geralmente entra na lateral esquerda, mas é destro, ganha uma chance entre os titulares.

Por outro lado, o goleiro Fernando Prass treinou normalmente e tem presença garantida contra os uruguaios. O arqueiro ficou de fora dos últimos dois jogos do Vasco por causa de um corte no joelho sofrido na partida contra o Duque de Caxias. Dedé, por sua vez, não treinou devido a um problema em um dedo do pé direito, porém não será desfalque na partida pela competição continental.

No treino coletivo desta terça, o Vasco teve a seguinte formação: Fernando Prass, Max, Dedé, Rodolfo e Thiago Feltri; Nilton, Eduardo Costa, Juninho Pernambucano e Felipe; Diego Souza e Alecsandro



Na véspera da estreia na Libertadores, Vasco paga o 13º salário
Diretoria deposita quantia referente a 2011 na conta dos jogadores a um dia de partida contra o Nacional

Os jogadores do Vasco receberam uma injeção de ânimo na véspera da estreia na Libertadores. Na tarde desta terça-feira foi depositado o valor referente ao 13º salário de 2011, quitando uma parte da dívida com o elenco, que recebeu a notícia durante o treino desta tarde em São Januário. O clube fez o pagamento ainda sem receber a verba da Eletrobrás, provavelmente com a ajuda de vascaínos ilustres.

A diretoria ainda aguarda uma boa notícia nesta terça-feira. O advogado do Sindeclubes garante ter conseguido a liberação de parte da verba de patrocínio da Eletrobras, no valor de R$ 3,5 milhões. Henrique Fragoso entrou com um pedido de reconsideração de decisão da 36ª Vara da Justiça do Trabalho. O clube aguarda a confirmação do pagamento para dar fim aos atrasos.

Apesar do pagamento do 13º salário, os dirigentes acreditam que isso não afetará a decisão dos jogadores de manterem a postura de não concentrar antes do jogo contra o Nacional. A equipe deve manter o boicote, já que os vencimentos continuam atrasados. O elenco não se concentrou antes das partidas contra o Bangu e Friburguense.

O Vasco estreia na Libertadores nesta quarta-feira, contra o Nacional (URU). Os times se enfrentam em São Januário, em duelo válido pelo Grupo 5 da Libertadores. O jogo tem início às 22h (horário de Brasília) e terá transmissão ao vivo pela Rede Globo.



Despedida de Edmundo

 O presidente Roberto Dinamite vai conceder entrevista coletiva nesta quinta-feira para dar os detalhes sobre o jogo de despedida do atacante Edmundo, ídolo da torcida cruz-maltina. A tendência é de que o mandatário vascaíno confirme um amistoso contra o Barcelona de Guayaquil-EQU no dia 28 de março, quarta-feira. O adversário é o mesmo da final da Libertadores de 1998, no título da competição continental pelo Vasco. [por ESPN.com.br com Agência Gazeta Press]



Vasco quer título de 1948 oficializado como o primeiro da Libertadores
Conmebol já teria reconhecido a conquista do campeonato sul-americano daquele ano ao incluir o time cruz-maltino na Supercopa de 1997

O título sul-americano conquistado pelo Vasco no Chile já teve o reconhecimento da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) em 1996, mas até hoje não o oficializou. Por isso, o clube de São Januário encaminhará ainda esta semana uma farta documentação pedindo que a Conembol oficialize em seu site o Vasco como o primeiro campeão da Taça Libertadores.

- O dossiê está preparado, estamos apenas fazendo o encadernamento, o presidente já assinou, e vamos encaminhar para a Conmebol na quinta ou sexta-feira, para que possa ser colocado no site da Conmebol o Vasco como o primeiro campeão sul-americano - disse o vice-presidente de Relações Especializadas, João Ernesto da Costa Pereira, em entrevista à Rádio Globo.

O dirigente explica que o torneio de 1948 foi patrocinado pelo Colo Colo e que foi um embrião da Libertadores, que passou a ser disputada em 1960. De acordo com ele, a disputa estimulou a União Europeia de Futebol (Uefa) a criar a Champions League.

- Nós já temos no centro de memória material suficiente para enviar como sustentação do nosso pleito. Entretanto, procuramos pesquisadores chilenos, que nos enviaram matérias da imprensa chilena dos jogos, pois foi um evento de alta magnitude. Obtivemos este material e ele vai se juntar ao que temos, incluindo edições da "Revista Vasco", que existia na época e que deu um grande destaque a essa conquista.

João Ernesto explica por que o Vasco voltou ao assunto:
- Nada mais é do que o reconhecimento oficial de uma grande conquista, não só para os vascaínos, mas para o futebol brasileiro, afinal foi a primeira conquista de um clube do país fora do Brasil. Em 1996, a própria Conmebol já havia reconhecido isto, tanto que o Vasco disputou a Supercopa dos Campeões da Libertadores de 1997. Mas isso não foi materializado no site da Confederação Sul-Americana e resolvemos fazer o pleito para ter esse título reconhecido defintivamente. [Por GLOBOESPORTE.COM]


13 de janeiro de 2012

Confira os gols de Vasco 4x1 Comercial - SP


Vasco goleia Comercial-SP em jogo-treino: 4 a 1

ATIBAIA, SP - Um breve indicio do time do Vasco que vai estrear no Carioca foi dado nesta quinta-feira, no jogo-treino contra o Comercial, da Primeira Divisão paulista, vencido por 4 a 1, em Atibaia. Em apenas um tempo, o técnico Cristóvão Borges testou a possivel formação titular, levando em conta a impossibilidade de escalar Eder Luis e Rômulo, já vetados, Eduardo Costa, machucado, e Felipe e Juninho, ainda longe da melhor forma.

Num primeiro tempo que começou com pegada de jogo valendo três pontos, o Vasco venceu por 2 a 1, com gols de Allan e Alecsandro. No segundo, com o time todo modificado, ainda marcou mais dois, com Kim e Juninho. Como primeiro teste, tanto comissão técnica quanto jogadores sabem que o time precisa se soltar mais para não ter muitas dificuldades na estreia, daqui a dez dias, contra o Americano, em Campos.

O Vasco jogou o primeiro tempo com: Fernando Prass, Fágner, Dedé, Rodolfo e Thaigo Feltri; Nilton, Fellipe Bastos, Allan e Diego Souza; Bernardo e Alecsandro.

O argentino Matías Abelairas, contratado há poucos dias, realizou um treino físico em um campo próximo, junto com Felipe e Jumar. Recuperando-se de lesões, o atacante Éder Luís e os meias Rômulo e Eduardo Costa apenas assistiram ao jogo-treino ao lado do gramado.

No primeiro gol vascaíno, o destaque foi Bernardo, autor de bela jogada: colocou a bola entre as pernas de dois adversários em sequência. A bola sobrou para Allan chutar da entrada da área, no ângulo direito. Vágner empatou pouco depois, aos nove, numa cobrança de falta que passou por toda a defesa e enganou Fernando Prass.

O lateral-direito Fagner saiu de campo queixando-se de dores na coxa direita, no fim do primeiro tempo, mas em princípio não preocupa para a estreia. Na etapa final, o Vasco atuou com Alessandro, Jomar, Douglas, Renato Silva e Max; Diego Rosa, Juninho Pernambucano, Chaparro e William Barbio; Jonathan e Kim.

O terceiro gol foi construído por Kim, que recebeu pelo lado esquerdo, girou e bateu para ampliar a vantagem. Aos 32 minutos, Juninho tabelou com Jonathan e tocou por cima do goleiro Alex para marcar o último gol da atividade.

Por Tatiana Furtado  | Agência O Globo

7 de janeiro de 2012

Conheça as torcedoras famosas do Vasco!

Para abrir o timaço de torcedoras famosas do Vasco com chave de ouro, nada mais justo do que apresentarmos a atriz – e vascaína – Daniele Winits

Fátima Bernardes herdou paixão do pai pelo Vasco. A paixão da apresentadora pelo Vasco é tão grande que contagiou a sua irmã mais nova. Ela conseguiu mudar o time da caçula da família na base da persuasão.

Vascaína assumida e de coração, Camila Pitanga chega para deixar o time das torcedoras do Gigante da Colina ainda mais elegante

Quando o assunto é futebol, a atriz Taís Araújo só tem olhos para o Vasco. Mas, claro, agora que é mamãe, ela também dedica sua atenção ao filhinho.

A cantora Fernanda Abreu deixa a torcida mais animada e musical!

A apresentadora – e vascaína – Ana Furtado, além de torcedora de carteirinha, é rainha da bateria da escola de samba Grande Rio.

Outra torcedora famosa do Gigante da Colina é Luiza Tomé. Assista aqui à entrevista dela na Record News e saiba mais sobre a atriz

A atriz Paula Burlamaqui também é do Vasco!

Valéria Valenssa, a dançarina e modelo agita e embeleza a torcida de beldades do Vasco

Torcida em dose dupla: a produtora Tatiana Issa (esq.) e a atriz Sônia Braga reforçam o timaço de torcedoras do Vasco!

E pra encerrar o timaço de famosas do Vasco, toda a beleza da eterna miss brasileira Marta Rocha

4 de dezembro de 2011

Felipe antes da decisão: ‘Sinto orgulho do Vasco e não pretendo sair mais’


Na vitória ou na derrota, com ou sem o título brasileiro, Felipe estará nas nuvens após o jogo com o Flamengo. Quatro horas depois, feliz ou arrasado, ele voará para os Estados Unidos com a mulher, Carla, e os filhos Lucas, 6 anos, e Thiago, 2. Na melhor das hipóteses, Felipe perderá a festa do título. Na pior, vai chorar no ombro do Mickey, no fantástico mundo da Disney.

A entrevista ao Jogo Extra foi também uma viagem. No tempo. Felipe lembrou, por exemplo, seu último jogo pelo Flamengo, em 2004, quando marcou um golaço na vitória de 6 a 2 sobre o Cruzeiro, e arremessou o manto sagrado para um voo polêmico. Felipe viaja também para o futuro. O jogador mais vitorioso da história do Vasco quer mais e, mesmo que o título não venha, ele já se realiza:

— Sinto orgulho desse time — afirma.

Sofreu com a eliminação da Sul-Americana?

Apaguei. Quando acordei, estava 1 a 0. Dormi mais, vi o Fagner sendo expulso e eles fizeram mais um. Aí, desliguei.

O que fará nas férias?

Vou passar 11 dias na Disney com a família. Será minha primeira vez. Viajo depois do jogo. Do Engenhão, sigo para o aeroporto.

Vai ficar fora da festa?

O importante é o título.

Esperava essa boa fase?

Fiquei cinco anos fora e fico feliz por me sentir útil. Não passa pela minha cabeça parar. Tem muita gente na minha frente: Deco, Juninho (risos)... Tenho 34 anos e mais um de contrato.

Mesmo com contrato em vigor, recebe sondagens?

Nada oficial. Para me tirar do Vasco, será muito difícil. A princípio, pretendo cumprir o contrato, renová-lo e parar um dia, jogando pelo Vasco. Não pretendo sair mais. Tenho identificação e história.

Você é o jogador mais vitorioso do Vasco, mas a relação era ruim. O que mudou?

Cheguei em 1983, com 6 anos. Melhorei, estou mais maduro. O Vasco também melhorou. A estrutura vem melhorando cada vez mais. Acredita que fui campeão brasileiro ganhando R$ 2 mil de salário, em 1997? Eu vivia duro (risos).

Foi um erro ter passado pelo Flamengo?

Não. Sou profissional.

Eu trouxe um vídeo pra você ver...

Eu já até sei o que é. É o meu gol, contra o Cruzeiro? É aquele que eu comemorei jogando a camisa do Flamengo para o alto?

Sim. Por que fez aquilo?

(Olhado o vídeo) Esse não foi um gol normal. Tá maluca? Foi o gol mais bonito da minha carreira. E já é difícil eu fazer gol. Foi uma maneira de extravasar. Joguei a camisa para o alto, mas camisa não voa. Camisa cai. Quem gosta de mim interpreta de um jeito. E quem não gosta interpreta de outro. Jogar a camisa no chão e pisar é uma coisa. Foi um golaço, na última rodada. Livramos o Flamengo do rebaixamento. Eu era um dos principais jogadores e, se o Flamengo fosse rebaixado, ia cair nas minhas costas, e também nas do Júlio César e do Zinho. O Ibson ainda era garoto. Eu ia entrar para o lado negro da história do futebol. Foi um alívio.

Comenta-se que na véspera do jogo você discutiu com o Júlio César e o preparador físico Marcelo Salles, filho do lateral-esquerdo Marco Antônio, campeão do mundo em 1970. Eles teriam dito que o Marco Antônio jogou muito mais do que você...

Misturaram as histórias!!! Eu e o Júlio César ficávamos botando pilha. Não vi o Marco Antônio jogar, mas dizia: "pô, teu pai foi do Vasco mas não jogava nada". Não houve briga. Marcelo é meu parceiro.

Com raízes vascaínas, foi difícil vestir a camisa do Fla?

Meu pai prefere que eu jogue no Vasco, mas não tenho dúvida de que torceu pelo meu sucesso. Voltei da Turquia e o Flamengo procurou meu empresário. O Vasco não procurou. Ia fazer o quê? Deixar de trabalhar? Honrei a camisa de todos os clubes que defendi. Se foi bom ou ruim, cada um que tire sua conclusão. Tenho a consciência de que onde fui, dei o melhor.

Você é Vasco?

Sou.

A Libertadores do ano que vem é uma motivação?

Já conquistei uma. É diferente. Os times sul-americanos fazem catimba e evoluíram muito.

A perda de dois mundiais está engasgada?

Bati duas vezes na trave. Contra o Real Madrid, fomos superiores. Contra o Corinthians, as duas equipes eram de alto nível.

Luxemburgo foi quem pela primeira vez convocou você para a seleção, em 1998. Ele tem um significado especial?

Foi o primeiro que me convocou e foi quem me botou também no meio-campo. Ele enxerga onde um jogador pode ser útil, uma leitura rara entre treinadores. Foi um dos melhores técnicos que tive. A partir dali, mudei para o meio. O (Antônio) Lopes, meu técnico no Vasco, gostou.

Algum palpite para essa última rodada?

Para chutar, vou ter que dar um palpite favorável também para o Palmeiras, né (risos)? É difícil, mas, não, impossível. É complicado depender dos outros.

É muito ruim perder para o Flamengo?

Sem dúvida. Assim como para eles também é ruim perder para o Vasco. Qualquer vascaíno prefere perder para o Botafogo ou o Fluminense. Os rubro-negros também. Vivi isso nos dois lados.

A síndrome de vice, motivo de provocação, incomoda?

Não. Só é vice quem chega à final. E os que nem isso conseguem? Dizem que ser vice é o mesmo que ser o último. É a nossa cultura, infelizmente. Mas é melhor chegar à final com chance de ser campeão do que estar em último, sem esperança. Se houver festa no Rio, será do Vasco.

O Vasco é motivo de orgulho para você?

Sempre foi e sempre vai ser. Tenho orgulho do nosso grupo, pelo que a gente fez o ano todo. Espero que todos fiquem para a próxima temporada e que venham reforços. Talvez, o Vasco nem seja o grande time do Campeonato, mas tem o melhor grupo. Não há vaidade. Já fiz parte de grupos mais qualificados, mas sem essa parceria. Em 97, havia divergências. O time vencia pela qualidade técnica.

De onde vem essa união?
Vem do treinador. Ricardo e Cristóvão ganharam o grupo pela simplicidade. Um jogador não faz questão de aparecer mais do que o outro.





O Engenhão ficará pequeno, neste domingo, às 17h. Num clima de final, Vasco e Flamengo podem decidir o Campeonato Brasileiro, mas somente os vascaínos têm a oportunidade de sair com o grito de campeão. Para conquistar o penta, é preciso vencer e torcer por derrota do Corinthians para o Palmeiras. Aos rubro-negros resta tentar a vaga na Libertadores e, de quebra, atrapalhar a festa do rival.

Nesse clássico que pode entrar para a história, os goleiros não são as principais estrelas, mas tiveram participação especial na temporada. Tido por muitos como o melhor do Flamengo este ano, Felipe foi o herói da final do Estadual contra o Vasco na decisão por pênaltis e o melhor em campo no 0 a 0 do primeiro turno. Já Fernando Prass era o capitão na conquista da Copa do Brasil e ainda vai bater um recorde pessoal.

O camisa 1 vascaíno, além de poder ganhar mais um título, alcançará a marca de 133 partidas seguidas, igualando-se a Rogério Ceni. O recorde é de Wladimir, do Corinthians, 161. Além disso, Prass é o único da Série A a ter participado de todas as partidas de seu clube no ano.

Ao fim de uma maratona de 75 jogos, quatro competições e o título da Copa do Brasil, o goleiro espera levantar mais uma taça, dois anos depois de chegar a um clube que vivia o seu pior momento e ajudá-lo a se reerguer como titular da campanha da Série B e dono da camisa 1 desde então.

“Com um ou outro percalço, posso dizer que levei bem. Esse foi um dos melhores anos da minha carreira. Quando cheguei, também foi muito bom, porque ninguém me conhecia”, disse Prass, na expectativa de comemorar mais uma vez. “Uma vitória nos dá o título e tira o Flamengo da Libertadores. Mas não fico secando. Só me preocupo com o Vasco”.

Entre os dois, só Felipe pode interferir diretamente na situação de seu clube. Se não levar gol, no mínimo garante o empate que classificará o Flamengo para a Libertadores e dará o vice ao Vasco. Uma ótima forma de fechar o ano após chegar sob forte desconfiança pela fama de indisciplinado e terminar como unanimidade e uma das prioridades para renovar o contrato, que termina em dezembro.

“Eu soube aproveitar o momento. Fomos campeões cariocas invictos, com muitas disputas de pênaltis. Foi um ano muito bom. Espero continuar assim por muito tempo”, disse Felipe, que já está identificado com os rubro-negros. “Queremos o Flamengo na Libertadores. A torcida ficará feliz e ainda poderá brincar com a perda do título do Vasco”. [O Dia. Reportagem de Hugo Perruso e Sabrina Grimberg]


ESCALAÇÕES
Vasco: o técnico Cristóvão Borges mais uma vez não confirmou a escalação para o clássico. No entanto, afirmou que vai voltar a relacionar Eduardo Costa para o jogo, já que o volante está recuperado de uma lesão muscular. Outro que volta é Felipe, poupado da partida contra o Universidad de Chile, pela Copa Sul-Americana. O Vasco deve entrar em campo com Fernando Prass, Fagner, Dedé, Renato Silva e Jumar; Nilton (Bernardo), Rômulo, Fellipe Bastos e Felipe; Diego Souza e Alecsandro.

Flamengo: na sexta-feira, Vanderlei Luxemburgo fechou o treino por uma hora e meia para armar o time que vai jogar o clássico. Durante o trabalho, fez algumas experiências. Num primeiro momento, Fierro foi titular no meio-campo. Depois, entrou Muralha. Na frente, Deivid voltou a figurar na equipe de cima. O lateral-esquerdo Junior Cesar retorna após cumprir suspensão contra o Inter. O time provável: Felipe, Léo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar; Willians, Fierro, Renato e Thiago Neves; Ronaldinho e Deivid.

QUEM ESTÁ FORA
Vasco: Allan e Juninho Pernambucano cumprem suspensão pelo terceiro cartão amarelo. O atacante Leandro foi expulso na última rodada e também não será relacionado. Eder Luis, machucado, volta apenas em 2012.
Flamengo: os volantes Airton e Maldonado não vão jogar. O primeiro ainda não está 100% recuperado de um edema no tornozelo esquerdo, enquanto o chileno realiza um trabalho de reforço muscular. Ronaldo Angelim, que se despede do clube, também está fora por conta de uma lesão muscular na coxa direita. Darío Bottinelli e Luiz Antonio só voltam em 2012. O argentino fez uma cirurgia no pé esquerdo, e o volante passou por cirurgias nos ombros.

ARBITRAGEM
Péricles Bassols Cortez (RJ) apita a partida, auxiliado por Rodrigo Pereira Joia (Fifa/RJ) e Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ). Ao todo, Bassols participou de 12 jogos, aplicou 66 cartões amarelos (média de 5,5) e 11 vermelhos (média de 0,9), marcou 443 faltas (média de 36,9) e três pênaltis no Campeonato Brasileiro, que registra média de 5,2 amarelos, 0,3 vermelho e 35,7 faltas. Destes amarelos, 34 foram para mandantes e 32 para visitantes. Ele apitou dois jogos do Rubro-Negro e um do Gigante da Colina: Flamengo 0 x 0 Vasco, pela 19ª rodada, e Botafogo 1 x 1 Flamengo, pela 24ª.

FIQUE DE OLHO
Vasco: considerado o maestro do Vasco, Felipe será uma das principais vias de acesso ao ataque. Calejado em clássicos, quer brilhar justamente no mais decisivo. A habilidade e a visão de jogo do meia, único armador do time, são trunfos do vice-líder para vencer o Flamengo.

Flamengo: depois de encerrar um jejum de pouco mais de dois meses sem gol, Ronaldinho Gaúcho terá a última chance de marcar em um clássico neste ano. Na temporada, foram oito jogos contra rivais cariocas e nada de bola na rede. O craque também deve uma atuação decisiva num confronto deste tipo. É possível que esta seja a última partida dele pelo clube. O atraso da maior parte do salário pode encurtar a passagem do camisa 10. O Flamengo ainda não chegou a um acordo com a Traffic, responsável pelo pagamento.

O QUE ELES DISSERAM
Cristóvão Borges, técnico do Vasco: “Se houver um resultado que beneficie o Vasco, ele vai depender da nossa vitória. Por isso, não adianta termos uma outra preocupação que não seja o Flamengo. Nossa parte é ganhar o jogo. Todo o nosso pensamento estará voltado para o clássico.”
Léo Moura, lateral-direito do Flamengo: “Por ser um clássico, já é um jogo especial. A disputa do título e da vaga na Libertadores mexe ainda mais com o público. Em seis anos aqui, não me recordo de ter perdido alguma partida de final, ou decisão, como esta. Tenho um bom retrospecto e espero continuar assim”.

NÚMEROS E CURIOSIDADES

* Vasco e Flamengo fazem o confronto das equipes que menos perderam neste Brasileirão. As duas equipes sofreram apenas sete derrotas em 37 jogos. Das sete derrotas do Fla, no entanto, seis foram neste segundo turno. Já o Vasco perdeu apenas três vezes no returno.
* Quatro vezes campeão brasileiro, o Vasco pode dar ao Rio de Janeiro seu 14º título na história do Campeonato Brasileiro. São Paulo tem a hegemonia, com 17 títulos. Neste caso, será apenas a segunda vez na competição que o futebol carioca conquista o título por três anos consecutivos.
* O Flamengo não perde para o Vasco há 32 meses (ou sete jogos). A última vitória vascaína aconteceu dia 22 de março de 2009, pelo Campeonato Carioca: Vasco 2 x 0, gols de Elton e Jéferson.
* O maior público registrado em uma partida entre Flamengo e Vasco na história do Campeonato Brasileiro aconteceu no dia 08 de maio de 1983, quando 121.353 torcedores pagaram para ver a segunda partida das quartas de final. O jogo terminou empatado por 1 a 1, gols de Elói, para o Vasco, e Zico, para o Fla, resultado que classificou o Flamengo para as semifinais da competição.

 ÚLTIMO CONFRONTO


O último clássico entre Vasco e Flamengo, pela 19ª rodada do Brasileirão, terminou sem vencedor. No dia 28 de agosto, os rivais empataram em 0 a 0 no Engenhão. O Vasco jogou melhor e, com um a mais desde o fim do primeiro tempo, quando Welinton foi expulso, pressionou, mas não conseguiu abrir o placar. O jogo foi movimentado e teve um lance polêmico. Nos minutos finais, Léo Moura derrubou Bernardo na área em pênalti não anotado por Péricles Bassols, mesmo juiz deste domingo. No entanto, o personagem da partida foi Ricardo Gomes, que sofreu um AVC à beira do gramado e precisou ser retirado de ambulância no decorrer da partida. O treinador está em reta final de recuperação. [globoesporte.com]


Vídeo. Vasco precisa quebrar escritas para ser o campeão brasileiro de 2011